fbpx

Senado aprova MP que flexibiliza contratação de aeronautas Por Agência Brasil




Agência Brasil – O Senado aprovou hoje (8) a Medida Provisória 1.029/2021. O texto altera a relação trabalhista dos tripulantes de aeronaves operadas por órgãos públicos. A MP, editada em fevereiro, permite ao poder público contratar empresa para fornecimento de aeronaves tripuladas sem que haja obrigatoriedade de vínculo empregatício entre os tripulantes (aeronautas) e o poder público. O texto segue para promulgação.

Atualmente, as normas determinam que os pilotos e mecânicos de voo devem ter vínculo empregatício com o operador da aeronave, não podendo exercer a atividade de forma terceirizada. A Lei 7.565 de 1986 define que o operador de aeronave é “o fretador que reservou a condução técnica da aeronave, a direção e a autoridade sobre a tripulação”. Dessa maneira, as operações realizadas pelos órgãos e entidades da Administração Pública os colocam na condição de operador, mesmo nas hipóteses de contratação de aeronaves e/ou tripulação nas operações aéreas.

“Como a Lei dos Aeronautas não permite a terceirização da mão de obra, tais operações ficam realmente prejudicadas, sobretudo nos órgãos em que há escassez de aeronaves e tripulação próprias, como bem apontado na Exposição de Motivos que acompanha a medida provisória”, explicou o relator da matéria no Senado, Zequinha Marinho (PSC-PA).

Segundo justificativa da Secretaria-Geral da Presidência, à época da edição da MP, ela é necessária devido à inviabilidade da realização de operações aéreas por órgãos e entidades da administração pública que não detenham no seu quadro de pessoal servidores habilitados em número suficiente para compor a tripulação das aeronaves.

Senadores reclamaram do pouco tempo para discussão do tema. O último dia de vigência da MP era amanhã (9) e haveria pouco tempo hábil para aprovar alterações e ser votada novamente na Câmara. Segundo o próprio relator, o tema merecia tempo para debates. Ele destacou que não houve nenhuma audiência pública sobre o assunto na Câmara ou no Senado.

“Muito embora a terceirização do setor aéreo seja um tema relevante, que mereça um debate mais aprofundado, o ritmo de tramitação das medidas provisórias, especialmente durante a pandemia da covid-19, não permitirá que o tema seja debatido com a profundidade necessária”, disse Marinho.

A MP foi aprovada por 59 votos favoráveis e 16 contrários. Entre esses contrários, está o do senador Paulo Paim (PT-RS), para quem a medida precariza as relações de trabalho da categoria. “Todo mundo sabe que precariza direitos. Se aprofundássemos poderia resguardar o que seria possível. Como não foi, nos obrigamos a votar não”.

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *