fbpx

Junto a ministro da Defesa e sem máscara, Bolsonaro gera aglomeração e defende voto impresso Por Reuters




SÃO PAULO (Reuters) – Sem usar máscara, o presidente Jair Bolsonaro voltou a provocar aglomerações neste domingo, contrariando recomendações do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, contra a disseminação da Covid-19 e, ao lado do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, voltou a defender o voto impresso e a afirmar que o Exército –que mais uma vez chamou de seu — não irá às ruas para cumprir medidas de restrição contra o coronavírus.

Sem apresentar provas, Bolsonaro voltou a colocar em dúvida o processo eleitoral eletrônico adotado desde 1996 no Brasil e disse ter certeza que o Parlamento aprovará uma Proposta de Emenda à Constituição para instituir o voto impresso.

“Com toda certeza nós aprovaremos isso no Parlamento e teremos uma maneira de auditar o voto por ocasião das eleições de 2022”, disse Bolsonaro, que fez um passeio de motocicleta por Brasília, junto a dezenas de pessoas, a maioria sem máscara, na capital federal.

Ao contrário das afirmações do presidente, e como já esclareceu o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a votação eletrônica existente no Brasil é auditável. As eleições no país são acompanhadas por observadores internacionais e, desde a adoção da urna eletrônica, nunca houve qualquer comprovação de fraude eleitoral.

No ano passado, Bolsonaro chegou a afirmar que apresentaria provas de fraude na eleição de 2018 e que ele venceu o pleito no primeiro turno. No entanto, o presidente jamais apresentou as provas que alega possuir.

O presidente voltou a dizer que o “meu” Exército não irá às ruas cumprir ordens de restrição à circulação para conter a disseminação da Covid-19, que já matou mais de 420 mil pessoas no Brasil.

“O nosso Exército são vocês, o que vocês quiserem, nós faremos”, disse aos apoiadores. “Pode ter certeza, como chefe supremo das Forças Armadas, jamais o meu Exército irá às ruas para mantê-los dentro de casa”, acrescentou.

Também sem usar máscara, Braga Netto falou rapidamente aos apoiadores do presidente e garantiu que os militares defenderão a Constituição.

“Estejam certos que as Forças Armadas estão prontas a defender a Constituição e operar sempre dentro do que está previsto nas quatro linhas”, disse o ministro da Defesa.

A presença de Bolsonaro, Braga Netto e de parlamentares bolsonaristas gerando aglomeração e sem máscaras vai contra a recomendação de Queiroga, que disse em depoimento à CPI da Covid no Senado nesta semana que todas as aglomerações devem ser dissuadidas, não importa quem as promova. O titular da Saúde também defendeu o uso de máscara para conter a propagação do coronavírus.

 

(Por Eduardo Simões)

Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *